Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Romanos 6: 18.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Fostes libertados do pecado, e vos tornastes escravos da justiça” – Rm. 6: 18.

É incrível como as pessoas não têm noção do que é ser de Jesus. Quem é de Jesus é escravo da justiça. É e uma situação doída essa, porque o que mais vemos e temos notícia nesse mundo de meu Deus são as injustiças praticadas pelos homens. Vejo com muita indignação as pessoas correndo atrás de dinheiro, e se vendendo para ter mais e mais, cada vez mais. Tem gente por aí que simplesmente não se contenta, e amealha tantas riquezas, que sua própria vida não é suficiente para gastá-las, não há tempo hábil para isso. Pior são aqueles que fazem isso de forma ilícita. Esses são escravos do pecado com “letra maiúscula” e têm sangue nas mãos, literalmente falando. Mas o problema não é só dinheiro, bens e riqueza, antes fosse. O grande problema é o vazio existencial imenso de se viver como escravo do pecado, e o pós-morte, morte física. Eternidade com Deus, e Eternidade sem Deus, ora, escolha que se faz em vida, em Jesus.

A Bíblia Sagrada nos ensina que as coisas que se veem são feitas a partir das coisas invisíveis, que nós, agora, não podemos ver. Logo, a realidade não é aquilo que vemos, tocamos, enfim, que percebemos pelos nossos sentidos sensoriais e humanos, por meio do corpo. Se a realidade fosse essa, nós não morreríamos. Nós viveríamos para sempre neste mundo de injustiças, e experimentaríamos situações assaz dolorosas, visto que tudo por aqui é limitado. E o ser humano tem uma capacidade ímpar de destruir as coisas. Polui-se tudo. Ar, mares, rios, mananciais, solo, subsolo, tudo. Daí a falta de recursos para todas as pessoas gera todo tipo de violência, que gera injustiças, que gera indignações e desamores, guerras, disputas, egoísmos, que culmina na decadência do homem. Talvez por isso Deus Pai tenha ordenado a decadência física em nossos corpos mortais, para nos alertar e ensinar sobre a efemeridade da vida, e de que a realidade que deve ser perseguida não é a que está ao nosso redor.

De fato, a vida é uma caminhada bem estranha. No começo não temos consciência de nada e, geralmente, os adultos nos protegem. Depois, aos poucos, vem o desatino da adolescência, período dentro do qual nós achamos que sabemos tudo, e todos os mais velhos são idiotas ultrapassados. Ainda na juventude, a energia e o excesso de vigor que nos dominam nos enganam, e muitas vezes nós nos gastamos com coisas inúteis e nocivas à nossa saúde e comprometemos o nosso bem-estar futuro, quando não abreviamos a vida mesmo. Depois fazemos uma inevitável curva no tempo, ao passarmos da metade de nossas vidas, e nos encaminhamos para a temida decadência física, que, muitas vezes, é por demais triste e sofrida. Adiante, duas coisas nos esperam: o ocaso e a morte. Não tenho conhecimento de tudo que isso envolve, e apenas escrevo e contribuo com a experiência que Deus me deu. Por certo essa experiência é “míope”, porque são sentimentos meus, mas se os partilho em Jesus, alguém pode vir a somá-los com os seus, e “ver” mais do que eu vi/vejo.

Bem, vejo pessoas presas em si mesmas, engodadas pela loucura desse Mundo, cujos sábios e entendidos são os mais simples, que são tidos por fanáticos e coitados pelos primeiros. Os poderosos na carne são pessoas que desdenham de Deus e de Seus pequeninos, não dando ouvidos à pregação, ao Evangelho. Pensam que são os sábios, entendidos e inteligentes, mas são os tolos dos tolos. E quanto mais se dedicam às tolices deste Mundo, mais se perdem e mais ficam longe de se salvarem. São os escravos do pecado, e o pecado deles é o desconhecimento de Deus. Todo o resto que é considerado pecado, com Jesus, é possível contornar. Agora, o pecado maior de se estar apartado de Deus, esse não tem remédio (a não ser Jesus, claro), e dá conotação de gravidade nos demais pecados, ainda que praticados na ignorância. Talvez Deus julgue o ímpio de forma condescendente até, dependendo do que passa em seu coração, mas é um risco que eu não quero correr, como cristão, crente em Jesus. Arriscar passar a Eternidade sem Jesus? Eu não, não sou louco. Já me foi retirado o véu, graças a Deus, e eu vejo o Senhor. Ser escravo do pecado é coisa seriíssima. E muitos o são e nem se dão conta disso. Minha eterna gratidão a Cristo Jesus, que me fez escravo Seu, e da justiça, ainda que a justiça não seja a minha.

© Amor-Perfeito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: