Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Romanos 4: 25.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Ele foi entregue por nossos pecados, e ressurgiu para a nossa justificação” – Rm. 4: 25.

Eu acho o Livro de Romanos um dos mais difíceis de entender. Não sei se isso é um problema meu, particular, ou se é geral. Há um consenso entre estudiosos de que foi Paulo de Tarso quem O escreveu, mas certeza, certeza, absoluta, ninguém tem. Por outro lado, há trechos claríssimos em Romanos, é verdade, mas em algumas passagens há tanta complexidade na escrita, que, eu, ao menos, me perco e não entendo nada, ou pouco. Paulo – presumindo que ele tenha escrito Romanos – entrelaça as ideias e premissas de tal forma que eu fico confuso, e me foge à compreensão o entendimento, por vezes. Bem, Paulo era culto, inteligente, e versado nas Escrituras, mas, veja-se só, mesmo assim ele precisou de Jesus para “abrir-lhe os olhos”, e “lhe tirar o véu”. Só depois da experiência (sobrenatural) que teve com Jesus, Paulo passou a admitir Jesus como Senhor e Salvador, o Messias e Cristo de Deus. E eis aqui um tópico que nos interessa, e muito: nós cremos em Jesus, muitas vezes, sem termos tido essa experiência sobrenatural, ou algo semelhante, que muitos ao longo dos séculos tiveram.

Acho que todos nós, muito provavelmente, já vimos coisas diferentes da normalidade, e nos acostumamos a isso, de certa forma. Nossa fé é moldada e esculpida em sua maioria em momentos corriqueiros e cotidianos, de leitura da Palavra de Deus e da pregação, de ouvir falar sobre os feitos dos protagonistas Bíblicos e de Jesus. Tudo sob o controle soberano de Deus Pai. Entretanto, nem sempre é fácil ao ser humano aferir o que lhe é impossível entender completamente. Lemos na Bíblia Sagrada relatos de aparições de anjos, manifestações de demônios, mortos ressurgindo, ressuscitados, doenças crônicas e conhecidas de terceiros sendo sanadas, profecias sendo cumpridas, e um monte de outras maravilhas e milagres, sendo o ápice disso, no meu modesto modo de ver as coisas, a vida, a morte e a ressurreição de Cristo Jesus, mais todo o contexto circundante desse fato. Isso mesmo: chamo de “fato”, porque acredito na veracidade da Bíblia Sagrada, linha por linha, vírgula por vírgula, de capa a capa. Já fui perguntado se eu acredito mesmo na Bíblia? Minha resposta é sempre positiva, e reflete a minha verdade sobre o tema: eu acredito. Ponto.

E alguns me perguntam como posso eu acreditar na Bíblia, sendo uma pessoa que teve acesso a uma boa educação, sempre fui amante de livros e leitor ávido, e sou, por assim dizer, alguém esclarecido e que já viajou um pouco por aí. Por primeiro digo sem hesitar que tenho fé. Fé é algo que temos em nós mesmos, e que oscila bastante conforme vamos caminhando pela vida. Muitos fatores contribuem para a oscilação da fé de cada um de nós, a exemplo de questionamentos, idade, experiência de vida, dentre outros. Mas o grande divisor de águas da fé, que nos mantém de pé (ou nos levanta quando caímos), é que Deus Pai é o Fiador: Ele garante a fé em nós. Só por isso, acho, é que nós não nos perdemos pelo caminho. O Senhor mantém viva a chama da fé em nossos corações. Se ela estiver apagando, só em brasa, Ele vem e assopra, e põe fogo em tudo, de novo. E de novo. E de novo. Sem cessar. E assim o amor que temos e devemos ao Pai queima e arde em nossos corações. A fé que temos em nós mesmos é aliada inseparável da fidelidade de Deus Pai, em Jesus. E esse é o motivo e a razão pelos quais esse bendito estado de fé jamais falha. 

Tudo isso se dá por causa de Jesus Cristo. O Mestre é o nosso Redentor, que foi entregue em sacrifício único e suficiente por nossos pecados, crucificado e morto (João 3: 16), e Sua ressurreição, em seguida, para nos justificar. O ser humano, qualquer pessoa, é injustificável perante Deus. O exclusivo modo de alguém ser justificado diante de Deus se dá pela entrega de sua vida ao Pai, por intermédio de Jesus Cristo. Jesus foi um ser humano ímpar, não havia outro que O igualasse, nem jamais haverá. Aos doze anos de idade discutia no Templo com doutores da Lei, e os deixava espantados/perplexos com Sua sabedoria e conhecimento. Ninguém podia explicar Jesus. Nem hoje pode. Não houve quem O colocasse contra a parede, O desautorizasse, ou O deixasse sem palavras e sem resposta a qualquer questão posta. Saulo de Tarso, pois, depois chamado de Paulo, o Apóstolo dos Gentios, era uma pessoa recalcitrante em relação a Jesus, mas se converteu, e se convertia todos os dias, até que foi chamado. Assim deve ser conosco: não importa quem somos ou o que temos (Jeremias 9: 23 a 25), precisamos nos focar em Cristo Jesus, nem que seja “aos trancos e barrancos”, mas Nele, até porque não há outro Caminho.

© Amor-Perfeito

3 Comentários

  1. Nilma

    Amado, não estou mais usando este e-mail e gostaria que enviasse seus e-mails para este e-mail que estou enviando. Conto contigo. Deixei um recado tambem para seu e-mail do “cristano” que também recebia por outro e-mail. Mande só para este e-mail.

  2. Claro, Nilma. Bom saber que vc tem sido abençoada com os e-mails. Q o Senhor te abençoe e te dê a paz q excede todo entendimento. Abs., Cr.

  3. Nilma

    Obrigada, vou aguardar…abraço e tenha um natal com muito amor e união com sua família e amigos. Nilma

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: