Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Isaías 61: 10.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Eu me regozijo muito no Senhor; a minha alma se alegra no meu Deus. Pois ele me cobriu com vestes de salvação, e me envolveu com o manto da retidão, como o noivo que se adorna com um turbante, e como a noiva que se enfeita com as suas joias” – Is. 61: 10.

O sentimento do Profeta deveria ser o nosso, em todos os momentos de nossas vidas, eu acho. Isso porque um singelo verso nos comunica um estado de pura plenitude. Nós corremos atrás de muitas coisas na vida, mas realização mesmo, plena, é ter em si próprio a consciência de tudo o que disse Isaías logo acima. Regozijar-se no Senhor é muito mais do que mera alegria e contentamento, ou simples satisfação. É realmente um sentimento expansivo, em constante expansão, impossível de descrever (é preciso senti-lo! Experimentá-lo! Vivê-lo!), que envolve gratidão e amor. Pode-se falar em regozijar-se no Senhor, mas não nos é passível transferir esse sentimento (infelizmente) a outra pessoa, que nos ouça, e poucos são os que acreditam em nossas palavras. Isso porque descrevemos algo tão grandioso que uma pessoa que não conhece a Deus, por Jesus, não consegue alcançar e nem ter ideia da dimensão da situação. Por isso, talvez, são essas pessoas chamadas de descrentes, pois que tentar acreditar em um estado tão inacreditável gera descrença, entre outras coisas.

Porém, Deus Pai é real, e Ele faz com que nossas almas se alegrem sobremaneira, não pelo que Ele possa vir a nos dar, em termos de coisas ou bens materiais, mas pela salvação, e por nos permitir vivermos em retidão. É poético o verso, sem dúvidas, mas encerra em si mesmo uma beleza indescritível, pela verdade que nos revela. Viver com o Senhor, e pelo Senhor, muda o status do ser humano, completamente. Isso não significa egocentrismo do cristão, não, mas uma realidade de vida indiscutível, que tem em seu centro o Senhor. Quando o Senhor é a figura central na vida de alguém, todas as perspectivas são alteradas, todos os pontos de vista são trocados de lugar, e todos os conceitos e preconceitos são revistos. Não à toa que a Bíblia Sagrada nos diz e ensina que o “velho homem” não existe mais; que nascemos de novo em Cristo Jesus; que as coisas velhas já passaram; que o que era velho se fez novo; que não devemos olhar para trás, que somos novas criaturas; Etc. e Etc. Novidade de vida, ora. Antes de Jesus éramos uma coisa; com Jesus somos outra. Salvos, remidos, regenerados e amados. Separados, santos. Por Deus Pai, em Jesus.

Talvez seja mesmo muita informação para alguém desavisado, não? Mas é a mais pura verdade. Acontece com quem se dispuser a se entregar a Deus, em Jesus. Cada um com seu tempo e maneira, porém, realidade. Esse estado de espírito nos permite viver em melhores condições, de forma geral, do que se estivéssemos na condição de ímpios, estes sempre no sentido de “pessoas que não conhecem o Senhor”. Ao iniciarmos uma vida com o Senhor ao nosso lado, por um lado, as coisas ficam mais difíceis, porque a Bíblia Sagrada nos ensina que somos odiados pelo Mundo; mas, por outro lado, a fé, a esperança e o amor nos transformam, e passamos a ter um olhar diferente dos demais. Olhar esse que nos modifica, e nos tornamos pessoas melhores, tanto para conosco como para com os outros, e isso tudo sem falar na alegria que damos a Deus (ou, pelo menos, que se espera que Lhe seja dada, pois Lha devemos…). Eu posso falar por mim e dizer que eu sinto em meu âmago esse regozijo todo do verso, e mais: minha alma vive alegre Nele.

Há uma distinção clara (ao menos, para mim) entre estar alegre por conquistas ou situações mundanas e estar alegre por obra do Divino. A primeira é transitória e a segunda é sempiterna. Uma é efêmera e a outra é constante. O verso de Isaías meio que nos dá essa conotação, e quer-nos ensinar esse artifício espiritual bastante valioso: o fato de que podemos estar sempre alegres no Senhor. E a Bíblia nos diz que a alegria do Senhor é a nossa força, de novo, não à toa (Neemias 8: 10). O Senhor nos permite viver na perfeição Dele, e isso é o máximo. Nós, seres naturalmente imperfeitos, alçados ao patamar de nos achegarmos à Perfeição. E podermos nos aproximar, com isso, da retidão de Deus, que nos faz retos e íntegros, apesar da nossa imperfeição nata. Um dos meus maiores desejos na vida é ter condições e capacidade de comunicar às pessoas o que eu sinto em meu interior e consciência, fazê-las sentir o que eu sinto por elas mesmas, e que é justamente aquilo que está descrito no verso e neste texto. Sinto-me incapaz disso hoje, no entanto, infortunadamente. Mas posso dar minha palavra e fé de que Deus Pai é real, e qualquer pessoa que a Ele se entregue, por Jesus, há de sentir em si mesma o todo descrito por Isaías, no verso acima transcrito.

© Amor-Perfeito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: