Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Provérbios 4: 27.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Não declines nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé do mal” – Pv. 4: 27.

Se o verso não tivesse sido escrito há séculos, bem poderia aparecer alguém, desavisado e inoportuno, e procurar dar a ele conotação política. Esquerda. Direita. Ideais extremos. Porém, o exemplo e a comparação nos servem bem: o Senhor, inspirando o Rei Salomão, o fez escrever tal provérbio, cujo intento é nos dizer que o melhor a fazer é nos afastarmos dos extremos. De qualquer tipo de extremo, de posições radicais, de pensamentos absolutistas, de certezas “convictas”, de conceitos fechados e de preconceitos. E sugere que os extremos estão ligados ao mal, visto que abusos, injustiças e malfeitos são cometidos em nome de causas transitórias e efêmeras (Colossenses 3: 2). O cristão, crente em Jesus, deve pautar sua vida no comedimento e na moderação, de modo que deve evitar quaisquer extremos. Deve ponderar tudo, antes de chegar a uma conclusão. E deve sempre escolher o bem em detrimento do mal, bem como lembrar-se a que povo pertence e de sua real pátria: o Reino de Deus (2 Pedro 3: 13). É o esperado por Deus Pai.

Tudo em excesso faz mal, e nos faz mal, nos prejudica. O Senhor, Na Bíblia Sagrada, nos ensina isso. Comer mel demais não é bom (Provérbios 25: 27). E diz mais Se achares mel, come o que te basta, para que não te fartes dele, e o venhas a vomitarProvérbios 25: 16. Agur, outro homem inspirado por Deus, pediu ao Senhor que afastasse dele a vaidade e a palavra mentirosa, e que não lhe desse nem a riqueza nem a pobreza, mas só o “pão” que lhe fosse necessário. Pois que ele temia negar a Deus na fartura, ou que, na pobreza, porventura viesse a furtar, profanando, assim, o Nome de Deus (Provérbios 30: 7 a 9). Não é errado, no entanto, ser rico e/ou ter poder (geralmente as duas coisas andas juntas), mas o rico e poderoso precisa ter muita atenção, redobrada, multiplicada, em relação aos seus atos e condutas, para não se tornar soberbo e arrogante e, assim, ofender a Deus. Nos extremos da vida encontramos muitas pessoas assim, ricas e poderosas, soberbas e arrogantes, tendentes ao mal, que se julgam diferentes dos demais, “acima” do bem e do mal. Pessoas que, normalmente, se consideram “especiais”, assentes com a ideia de que os meios justifiquem os fins, a qualquer custo. Isso é estar associado ao mal, flagrantemente.

Bem longe de Deus estão essas pessoas, tal é a verdade. O Senhor está com os moderados, modestamente entendo eu. O Senhor está com aqueles que buscam o bem comum, ou que, pelo menos, seus atos não prejudiquem ninguém, e que não “pisam” no próximo. Significa dizer que estão apartados dos excessos, e se preocupam com as consequências e resultados de seus atos. Nenhum exagero pode ser justificado, de fato. Paulo, Apóstolo, também pregava a sobriedade. Disse ele a Timóteo, em uma de suas cartas: Tu, porém, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre bem o teu ministério2 Timóteo 4: 5. E o que vemos, hoje em dia, são pastores se envolvendo em política, se tornando políticos, levando consigo o título de pastores para um ambiente viciado e sujo, essencialmente mundano. Na minha modesta opinião, religião (no sentido de ‘religare’) e política não se misturam, são água e óleo. A política prejudica a pregação da Palavra de Deus. Quem se aventura e se propõe a tratar das coisas de Deus, deve se preocupar com as coisas do Reino de Deus, e jamais se deixar inclinar para o sistema corrupto deste Mundo. Na mesma esteira, vi e vejo comentários de ódio de homens de Deus (Será?) neste ou naquele sentido, defendendo homens, candidatos a cargos eletivos, e partidos políticos, com fúria e “sangue nos olhos”.

O homem de Deus, especialmente um pregador, sacerdote e/ou um pastor, deve deixar de lado a política, e sequer se manifestar em relação a esse tema. Porque no momento em que ele expressa a sua posição política, muitas pessoas se afastam não dele, mas de Jesus e da fé. Pior ainda quando lançam comentários públicos, nos púlpitos, por literatura, nas redes sociais e afins. Não façam isso, irmãos, vocês que estão comprometidos com a pregação da Palavra de Deus. Não façam isso, em Nome de Jesus. O cristão sabe bem que a última palavra é sempre do Senhor. Essa é a nossa consolação e esperança. Isso é o que nos move. E é um dos pilares da nossa fé: a soberania de Deus. Sejamos nós, crentes em Jesus, moderados. Melhor: Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o SenhorFilipenses 4: 5. Lindo e excelente conselho. Nós precisamos nos manter afastados dos extremos, e ter comedimento em tudo o que fizermos. Moderação e resignação são, pois, excelentes “aliados” do cristão, do crente em Jesus. E não podemos jamais nos esquecer disso: perto está o Senhor! Nossa confiança Nele não pode ser somente “da boca pra fora”…

© Amor-Perfeito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: