Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Isaías 42: 16.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Guiarei os cegos por um caminho que não conheceram, farei que caminhem por veredas desconhecidas; tornarei as trevas em luz perante eles, e as coisas tortas endireitarei. Estas coisas lhes farei, e nunca os desampararei” – Is. 42: 16.

Isso é o que acontece a quem se dispõe a seguir o Senhor Jesus. Essa é a promessa de Deus a todo aquele que se entrega a Ele, por Jesus. Um verso e tanto! Aqui tem tudo: um novo começo, “zerando” o passado. Um despertar para a realidade. Uma aventura, porém, às claras, de “peito aberto”, com consciência, empolgante e cheia de surpresas interessantes e agradáveis, guiada e vigiada por Deus Pai. Consertos, reparos, reaproximações, outras possibilidades, novas e verdadeiras amizades, fraternidade e boa companhia. Aprende-se a piedade, o amor sincero, o reconhecimento do bem e do mal, a se fazer boas escolhas, e a melhorar como pessoa. Ganho real em termos de ser alguém melhor. O contato com a sabedoria e o entendimento do Céu faz qualquer um mudar o rumo de sua vida, e essa é a busca mais nobre de qualquer ser humano: sabedoria e entendimento. Digo mais nobre porque é o mesmo que buscar ao Senhor, em Jesus, e estar com Ele, visto que sabedoria e entendimento vêm Dele, e Dele são indissociáveis. E Ele termina o verso dizendo a quem quiser ouvi-Lo: Eu nunca te desampararei! (Forte, profundo, determinante, definitivo, eterno!).

Mas há mais. O verso, em si, é um resumo da vida cristã, e daquilo que a pessoa “ganha” ao se tornar cristã. Ser cristão é ser beneficiário de várias certezas provenientes de Deus, mas ninguém há que receba benefícios sem o acompanhamento de certa carga de responsabilidades. Normal. Faz parte. Não é nada demais. É esperado por Deus e pelos homens que o cristão tenha ações e reações condizentes com seu estado de crente, descontadas as suas naturais imperfeições. Porém, o coração daquele que a isso se propõe deve estar “calibrado” e voltado à vontade de seguir certos preceitos e conceitos, e, na mesma medida, de se afastar de velhos hábitos e da normalidade da multidão. O crente em Jesus é um “estranho” para o Mundo, um “inimigo da boiada”, muitas vezes um chato e uma pessoa desagradável à maioria. Mas ele é uma “luzinha acesa” nas trevas que nos circundam e pode ser a única ajuda verdadeira que encontraremos na escuridão das nossas vidas. Por isso as responsabilidades, porque o crente em Jesus deve ser confiável, afável, justo e íntegro. E as pessoas devem notar isso de forma natural. Crente em Jesus não se esforça para demonstrar nada, não, ele emana, “exala”, ele é. Basta olhar para ele, que seu semblante o denunciará, infalivelmente.

Mas, há “lobos em pele de cordeiro”, não? Sim, há, e muitos. Estes, no entanto, são lisonjeiros, falsos, defraudadores, e se aproveitam da carência alheia em proveito próprio. O crente em Jesus dá de si mesmo aos outros, sem nada esperar em troca. O que faz, faz por amor, amor a Deus, principalmente, e amor ao Mandamento, de amar o próximo. Já o pseudocrente vê no próximo uma oportunidade, apenas, e não se importa com as consequências nefastas que deixará no coração de sua vítima, tampouco com o dano que provocará. Este sujeito, dissimulado e mau, quer para si o proveito, o despojo, o butim, quer o “conteúdo da bolsa”, e só. Custe o que custar, ora. O rastro de destruição que ele deixa atrás de si não lhe importa nem um pouco, e usa o Nome de Deus em vão, buscando o lucro em detrimento da vida e da alma dos demais, de alguém, de seu semelhante. Mau. Não é a Deus que ele serve, entretanto. Serve a si mesmo, e ao oponente de Deus. O oponente de Deus opera no Mundo, como bem sabemos, e tem limitações, visto que é criatura. Portanto, é exagero chamá-lo de “oponente” de Deus. Mas, deixemos assim por agora: é só para que possamos identificá-lo nesta reflexão, e logo o colocamos de lado, à margem de nossas vidas.

Quem importa, de fato, é o Senhor Deus, Todo-Poderoso e Soberano, que nos presenteia com as palavras do verso, reais e verdadeiras, transformadoras e consoladoras, vivas. Com o tempo nós aprendemos a identificar os “falsos profetas” e as pessoas frias e danosas. E o Senhor, em Jesus, eu creio, nos protege enquanto estivermos nessa miscelânea de “joio e trigo”. Deus Pai, Pai zeloso e amoroso, Se volta com fúria mortal a quem prejudica e faz mal a qualquer de Seus pequeninos. Tenho paúra só de pensar no destino de cidadãos desse “naipe”, e das consequências que eles terão de encarar. Não quero estar entre eles, portanto me esforço em Cristo Jesus, e conto com a ajuda de Deus para me manter saudável na fé e nas intenções de ser boa pessoa, agradável a Ele. Das coisas que estão no verso, cujo interlocutor foi Isaías, quero todas, e muito mais. Toda e qualquer benesse de Deus Pai, eu quero, anseio, desejo, busco, persigo, elas me acham. Ser de Deus, cristão, é ser abençoado. Agraciado, em Jesus. Quero isso tudo, antes de tudo, e de qualquer outra coisa. Melhor escolha não há. Nada se compara. Senhor! Cá estou eu, entregue a Ti.

© Amor-Perfeito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: