Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Provérbios 24: 8.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Aquele que cuida em fazer o mal, mestre de maus intentos o chamarão” – Pv. 24: 8.

Por incrível que nos pareça, há quem cuide em fazer o mal, e só pense nisso. Acredito que sejam pessoas “limitadas” de alguma forma, visto que associar-se ao mal é loucura e estultícia. Em todos os cantos encontraremos indivíduos ruins e com coração duro, dispostos a fazerem as maiores (e menores) barbaridades e atrocidades, sem respeito algum ao próximo e, muitos, sem respeito algum à vida dos outros. Há, por exemplo, quem roube e, para garantir o butim, utilize-se de violência e mate o dono dos bens, volte para sua casa, e durma tranquilo. Coisas desse tipo não se cingem à falta de coração, não, o que lhes falta é a alma mesmo. Muita gente há que simplesmente não se condói com a dor alheia, e há os que têm prazer em infligi-la. Há quem comemore as desgraças dos outros, e se regozija no infortúnio de seus semelhantes. Misericórdia! O Senhor deve ficar muito aborrecido com essas coisas, para dizer o mínimo.

De todo modo, nós bem sabemos que o Senhor não deixa impune o pecado de ninguém. Se há malfeitos a serem contabilizados, os cidadãos que os protagonizaram hão de dar conta de seus atos e condutas. Hão de pagar pelo que fizeram. Muitas vezes, no entanto, nós não vemos nada acontecendo com essa gente maligna e nefasta. Isso porque não temos o dom de enxergar almas e corações, íntimos e âmagos, essências. Eu creio que pessoas com “dívidas” por praticarem o mal, ainda que saiam impunes pela Justiça mundana, não escapam do “inferno” que vivem em si mesmas. Deu Pai é “Fogo Consumidor”, e pecadores inveterados adeptos ao mal “se queimam”, “ardem em chamas”, interiormente, consumindo-se. Quando suas vergonhas são expostas aos demais, então, elas se tornam desprezíveis e asquerosas aos olhos dos bons. E na hipótese de haver “crime perfeito”, sem punição terrena, a situação piora por causa da Justiça Divina, vindoura.

Bem, existe gente má em todo lugar, e em todas as profissões e posições imagináveis. Em voga nos nossos dias, porém, estão os políticos desonestos, cujos Partidos são verdadeiras formações de quadrilhas a espoliar em benefícios próprios todos os governados. Por lógica, os mais pobres têm menos recursos para se defenderem dessa gangue maléfica, e sofrem mais. Os que não têm acesso a uma boa educação e cultura, também (e não têm, também, por causa dessa gente). Com razão, pois, certo Procurador da República (membro do Ministério Público Federal) ao analisar os fatos da “Operação Lava Jato” e dizer que esses ladrões e bandidos têm, literalmente, sangue nas mãos, pois seus delitos implicam em falta de tudo o que é essencial à preservação da vida. Os recursos desviados redundam em falta de leitos em hospitais e de hospitais, falta de medicamentos e de intervenções cirúrgicas de emergência, inexistência de manutenção adequada em estradas (logo, há mais acidentes, mais feridos e mortos), a Segurança Pública fica prejudicada e o crime se organiza (há mais crimes, como latrocínios e homicídios), e a corrupção domina o cenário todo, trazendo-nos, ainda, todo tipo de desventuras e insegurança. Será que nos é possível entender isso tudo? Não tem problema se não, eu digo: o Procurador da República disse textualmente que esses políticos não são ladrões, mas assassinos, pela roubalheira que patrocinam e consequentes vidas que se perdem. Todos têm sangue nas mãos, literalmente, como dito. Amealham para si bens e riquezas, à custa do sacrifício de vidas de terceiros que, em tese, deles dependem.

Entretanto, como dito, há gente má por toda parte. Acho que o parágrafo anterior foi só um desabafo, apesar da exatidão de cada palavra escrita. Só não sei dizer qual seria o significado da segunda parte do verso, que diz aos que cuidam em fazer o mal que “mestre de maus intentos os chamarão”. Não sei se isso está posto em sentido figurado ou se é literal. Se for literal, significa dizer que eles serão entregues a Satanás, e vão para o Inferno. Ou que o Diabo transformará a vida terrena desse povo num verdadeiro “inferno”. Fato é que quem faz sofrer outrem há de sofrer de volta, como Deus quiser e lhe impor, talvez, de forma multiplicada. Nada que se faz de mal é deixado sem paga ou contrapartida. Há quem chame isso de “Lei do Retorno”. E eu quero crer nisso, de coração. Não porque eu quero o mal dos outros, ainda que dos maus, não, o que eu quero e acredito é que malfeitos se acumulam em “pesados fardos” que terão de ser “aliviados” a certa altura. A “conta” chega. A “fatura” é cobrada. Hora do acerto. Consequências. E pior no Dia do Juízo, se não houver arrependimento prévio à morte física. De todo modo, a coisa é grave, e haverá severidade em tais momentos. Ai, ai, ai, melhor cuidar em fazer o bem. Ser do bem. Bem-aventurados estes últimos, pois serão chamados pelo Senhor, em Jesus. E pelos respectivos nomes, com cuidado, carinho, afeto e amor.

© Amor-Perfeito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: