Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Lucas 18: 41.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Que queres que te faça? Respondeu ele: Senhor, quero ver” – Lc. 18: 41.

Imaginemos: o Senhor Jesus nos faz uma pergunta e nos concede a realização de um desejo. O que você escolheria? O que você pediria a Jesus que lhe fizesse? O verso acima transcrito nos conta a história do cego de Jericó (Lucas 18: 35 a 43). Um ser humano anônimo, sem nome para nós, que queria voltar a enxergar. E lhe foi concedido: a Bíblia nos conta que ele tornou a enxergar. Nos tempos dos primeiros reis de Israel, o Senhor veio e apareceu a Salomão, de noite, e lhe concedeu um desejo. Disse-lhe o Senhor: … Pede o que queres que eu te dê2 Crônicas 1: 7. O pedido de Salomão foi “sabedoria”, porque lhe tirava o sono ser juiz de um povo tão grande, e não ter sabedoria para julgar todas as causas e negócios de Estado (2 Crônicas 1: 10). E Deus Pai, extremamente satisfeito com a resposta de Salomão (2 Crônicas 1: 11), acabou lhe dando muito mais daquilo que pedira: entendimento, bens, riqueza e honra (2 Crônicas 1: 12). Consta, Biblicamente, que nenhum rei antes nem depois de Salomão, teve ou teria o tanto que Deus lhe concedeu. Salomão “pediu bem”, tanto quanto o cego de Jericó (Tiago 4: 3).

E ambos falaram diretamente com Deus. Dá pra imaginar? Falar face a Face com Deus? Falar com Jesus, vendo-O? Acho que eu nem saberia o que dizer nem como me comportar. Eu ficaria paralisado, mudo, “estático”, e com a mente vazia, por puro espanto. Bem, ao menos nos primeiros instantes, em estado de choque. Claro, pois que seria uma experiência extraordinária e sobrenatural, ora. Ahh! Mas como eu queria que isso acontecesse comigo, de qualquer forma, poderia ser até em sonho, desde que eu pudesse falar “tête-à-tête” com Jesus ou com o Senhor. Meu Deus! Que glória isso seria… No entanto, ainda há a questão da hipótese de me ser concedido um desejo, a realização de um sonho ou projeto, ou o que seja. De novo, portanto, surge a questão do que pedir. “Pedir bem”. Eu devo pensar em mim ou nos outros? Salomão pensou no povo, e o cego de Jericó, nele mesmo. Logo, foram lícitas as duas situações. Disso extraio que se eu pedisse algo para mim, mesmo que fosse um pedido particular, tal qual a cura para minha cegueira, dependendo do que viesse a ser, eu bem que poderia ser atendido (de acordo com os critérios do Céu, por certo).

Porém, vamos continuar a reflexão e o pensamento focados nessa maravilha. Pensar (e refletir) é sempre bom e útil. Qual pedido, afinal? Eu já me manifestei em outros textos sobre a inutilidade de algumas orações, e o exemplo mais expressivo é a paz no Oriente Médio, especialmente em Jerusalém, que julgo impossível de acordo com a Palavra de Deus (Gálatas 4: 29), e por todo contexto da volta de Jesus. Logo, na mesma esteira, alguns pedidos seriam contrários à vontade de Deus, se correlatos com o fim dos tempos. Paz mundial? Parece-me um pedido impertinente. Fim da fome e das doenças no Mundo? Outra demanda que afronta o Apocalipse. Dar cabo de uma vez nos falsos profetas? Igualmente, não, eles estarão sempre por aí. E assim com todas as coisas do gênero, plurais. Na seara particular e pessoal, riquezas, pensando somente em meu benefício? Não, não me parece justo. Morte dos meus inimigos? Bem, eu nem devia ter inimigos, só este fato já é uma vergonha minha. Que mais se possa pensar? Se for algo baseado em egoísmo e egocentrismo, para proveito e deleite só meu e de mais ninguém, creio que Deus me reprovaria tal pedido.

Entretanto, eu creio que saberia o que pedir a Deus, e seria algo proveitoso para mim e para todos ao meu redor. Se por meio de Jesus: “Que queres que te faça?”; ou se pelo Senhor: … Pede o que queres que eu te dê; “Eu quero, simplesmente, ser feliz o tempo todo”. Se meu desejo se realizasse, eu seria uma pessoa que não poderia ser derrotada por nada nem ninguém na vida. Eu contaminaria todos à minha volta, com minha felicidade. Amor se multiplica, mas felicidade (creio), também. Se eu fosse feliz full time, eu seria feliz na saúde e na doença, na riqueza ou na pobreza, com o que eu tivesse ou não eu estaria feliz. Enfim, eu seria feliz em qualquer circunstância. Eu estaria em constante contentamento, e jamais me preocuparia com o futuro, afinal, eu teria a garantia de que estaria feliz no futuro, sempre. Contudo, devo dizer que isso me privaria de experiências valiosíssimas advindas das tristezas, dificuldades e agruras da vida. Isso é fato, e Deus quer que cresçamos em estatura espiritual. Bem, que mal tem? Eu queria ser feliz. O tempo todo. Esse seria o meu pedido. Mesmo se me fosse negado. E, se concedido, mesmo se eu fosse tachado de “bobo alegre” de Cristo Jesus. Um ou outro resultado, eu continuaria amando a Deus e a Jesus do mesmo jeito. Será que no Céu é assim? Felicidade o tempo todo?

© Amor-Perfeito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: