Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Salmo 124: 8.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“O nosso socorro está no nome do Senhor, criador do céu e da terra” – Sl. 124: 8.

Muitos momentos da vida são bastante difíceis para nós. É verdade que para uns, mais, para outros, menos, mas eu francamente não sei explicar o porquê disso. Já me perguntaram várias vezes, e eu já parei para refletir, e pensar, “perguntei” a Deus, li, pesquisei, e não encontrei a resposta. Fato é que uns são “afortunados” e outros são “desafortunados”. Pelo critério mundano, uns têm “sorte” na vida, outros são “azarados”. Quem explica isso? Eu não, certamente. Pra mim isso é um mistério de Deus, mas eu aprendi uma coisa: há muita violência e injustiças nessa situação, e não é coisa nova, vem desde sempre. A novidade se vê ao longo do tempo e épocas, de pessoa a pessoa, quando alguém se transforma e passa a ser fraterno, bom e justo. Trata-se de raridade se o nosso olhar estiver voltado para o todo, mas, como esse todo é enorme, há muitas pessoas boas. Tais pessoas raras são aquelas que andam por aí fazendo o bem, e parte delas se entregaram a Cristo Jesus, nosso Senhor, em sinceridade.

Muita gente há neste Mundo, muitos são cristãos, e Deus criou o Céu e a Terra. Muitos contam com os favores dos “príncipes”, e se unem em grupos distintos, a fim de obterem vantagens e, eventualmente, socorro. Isso acontece, geralmente, num ambiente de camaradagem em termos de interesses mútuos, e também por conta de uma necessidade humana de “pertencimento”, que conforta e dá relativa segurança. São tantos esses grupos, que explicitá-los todos seria perda de tempo, mas é certo que na maior parte deles, Deus Pai está em segundo plano, ou é mesmo repudiado frontalmente. Essas pessoas se colocam longe de Deus, por variados motivos, que vão desde a ignorância (em todos os sentidos), até a aberta e clara vontade de estarem apartadas Dele, e até contra Ele. Muita gente há no Mundo, e talvez nem a metade seja cristã, não sei. E caridade não é algo particular do cristão, de forma alguma. Mas não é esse o socorro do verso, em minha opinião, ou só esse socorro, que seria o material.

Muitas são as necessidades do ser humano. Eu fico “observando” e analisando a vida dos outros (e a minha), e vejo a falta de sentido, de norte, de rumo. Sinto “calafrios” ao ver pessoas se desgastando numa “corrida vazia”, sendo que a “linha de chegada” é a mesma e comum a todos nós. O que é vencer uma maratona? Chegar primeiro e ocupar o lugar mais alto do pódio? Só isso, ou completar a prova já é uma vitória? E o percurso, de nada vale? Pois é a “corrida” que vale. A vida é o “percurso”. A chegada é o “fim da linha”. E há dois enfoques para isso. O primeiro se cinge no fato de que é no “percurso” que a vida se desenrola, de fato. Aqui é vital ter Deus ao seu lado, e se comportar com integridade e ética. Existe uma história de um competidor que estava em segundo lugar, já próximo da linha de chegada, e o corredor que estava na sua frente, sem notá-lo pelo burburinho da multidão em volta, se distraiu e diminuiu o passo. Ao invés de passá-lo e vencer a prova, o segundo colocado o avisou, e o resultado foi o justo: em primeiro lugar, chegou o melhor preparado, que em verdade (e realidade) deveria vencer. Perguntado ao segundo colocado, depois da prova, do porquê de não ter “aproveitado a oportunidade” para vencer a prova, ele respondeu que o vencedor era quem devia ser, e se não fosse assim, ele não teria como encarar sua mãe, depois, se não agisse corretamente.

Essa pequena história real nos serve de exemplo, mas a diferença, e aqui passamos ao segundo enfoque, é que quando terminarmos nossa “corrida” ou “percurso”, a “resposta” de cada um de nós será: “Como haveremos de encarar a Deus?”. Especialmente se deixamos de ser íntegros e honestos. E aqui a “corrida” ou “percurso” já não fazem a menor diferença, visto que a vida já foi vivida, a “linha de chegada” alcançada, estando selado eternamente o destino do “corredor”. Por isso, sabedores de que a vida se desenrola no “percurso”, nós (cristãos de coração contrito, puro, e sinceros) nos socorremos do Senhor, buscando dar sentido às nossas vidas. Boa parte das gentes deste século corre atrás do vento, e vivem vidas vazias. No fim, o que encontram? Na “linha de chegada” nós viveremos eternamente na presença de Deus, Ele será o nosso Sol. No “percurso”, Ele nos socorre, material e espiritualmente, de modo que até em nossas questões existenciais, Ele nos acalma e consola. Deus é bom, Deus é Pai, e é o Criador do Céu e da Terra. Tudo Dele é, e feito por Ele, graças a Ele, e Ele dá liberalmente a quem quiser e, talvez, merecer. Socorre-nos, Deus Pai, em Jesus, pois que dependemos de Ti, filhos Teus soltos por aí, cheios de aflições e necessidades, materiais, espirituais e existenciais. Conhecemos a “linha de chegada”, mas ainda estamos no “percurso”, “correndo”, muitos cansados e fatigados. Socorre-nos, Senhor, pois! O nosso socorro está em Ti, em Jesus! Amém.

© Amor-Perfeito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: