Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Ester 4: 14.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Pois se de todo te calares agora, socorro e livramento doutra parte virá para os judeus, mas tu e a casa de teus pais perecereis. E quem sabe se não foi para tal tempo como este que chegaste ao reino?” – Et. 4: 14.

Esta é a história de Ester, ou Hadassa, uma moça judia esbelta e formosa, que virou rainha. Ela era órfã, e foi criada por um primo, que a tomou por filha, cujo nome era Mordecai. Há um contexto belíssimo do qual o verso acima transcrito foi extraído, e são palavras de Mordecai a Ester, em um momento tenso e determinante de suas vidas. Ester já era rainha, e lhe cabia salvar o seu povo, interceder por ele, perante o rei Assuero. Mas o que me fez refletir foi a pergunta no fim do verso: “E quem sabe se não foi para tal tempo como este que chegaste ao reino?”. Há várias histórias Bíblicas semelhantes, e acho que a mais expressiva e detalhada é a de José, com uma semelhança incrível, pois a sobrevivência de Jacó e de seus filhos, no caso, dependia dele. Ester e José tinham desígnios para cumprir durante as suas vidas. Desígnios de Deus Pai. E como isso é lindo!     

Eu não sei, francamente, se isso acontece com todas as existências. Espero que sim, mas não sei. O que posso dizer é que ambos, Ester e José, devem ter vivido as suas vidas da melhor maneira que puderam, e isso é exatamente o que todos nós buscamos fazer. Eles dois tiveram grandes desígnios de Deus, pois a sobrevivência dos Judeus estava em suas mãos, em diferentes épocas e situações. E eles foram especiais ao atuarem como peças-chave na salvação do Povo Judeu. Deus poderia intervir a qualquer tempo, isso é certo, mas preferiu atuar pelas mãos de filhos Seus. Em maior ou menor grau, o Senhor nos usa para cumprir os Seus desígnios. Eu penso que as coisas são assim. Não faço a mínima ideia do que está reservado para mim, nesse sentido, se já fiz algo relevante ou não, ou se nunca farei, nem quem fará, mas sei que o grande desígnio de Deus para qualquer criatura é a justiça e o amor.  

Ora, em todas as ocasiões, na minha vida, em que eu fui justo e agi com amor para com o próximo, eu estou certo de que cumpri um dos maiores desígnios de Deus para nós, os seres humanos. O ser humano só consegue amar o próximo se for capacitado por Deus. E se for capacitado por Deus é porque ama a Deus, então, do primeiro grande Mandamento surge o segundo, impossível de existir, sem o primeiro. E vice-versa, claro, porque não se pode amar a Deus sem amar o próximo. Jesus nos ensinou que estes são os dois grandes e principais Mandamentos, de modo que o cumprimento da Lei (Palavra de Deus) depende integralmente dessas duas premissas (Mateus 22: 36 a 40). Não se faz a vontade de Deus, não se está em harmonia com Ele, não se tem intimidade com o Pai, sem a presença na pessoa desses dois Princípios do Reino, Regras de Ouro.

Os desígnios de Deus são cumpridos nas pequenas coisas, no dia a dia, no cotidiano, “grão por grão”. Nem sempre nós estaremos reservados para fazermos coisas grandiosas. Talvez nós nunca venhamos a ser protagonistas de “eventos espetaculares”, ou seremos tão importantes a ponto de “salvarmos o Povo Judeu”, com o perdão da comparação. Bem pode acontecer de jamais sermos figuras de destaque, com alguma fama e proeminência. Tudo isso é verdade, mas nada disso importa. Sim, porque Jesus disse que nós seríamos fortes juntos, de modo que o que Ester e José fizeram, também é nosso. José teve algumas “premonições” de que seria grande, em sonhos (Gênesis 37: 1 a 11), e isso irritou seus irmãos. Mas ele não se sentia superior, apenas, humilde, narrava o que “via”, com sinceridade, ingênua até. Se alguém tem em si mesmo essa “sensação”, de que fará algo grande para Deus, ótimo (assim espero que seja), mas não deixe jamais de ser humilde, de correr o risco de deixar o restante de lado, de “se sentir o tal”. Seja um bom servo, seja um bom filho, e aguarde (tranquilo, sereno) o seu dia e hora. Lembre-se das pequenas coisas, dos menores desígnios de Deus, todos tão importantes quanto os maiores. O Reino de Deus é um “amontoado” de bênçãos, firmadas no amor. Viva a vida, pois, com zelo, humildade, dela aproveitando tudo, ao máximo, com justiça e amor, e, bem pode ser, no seu caminho, que alguém, dado momento, lhe faça uma pergunta assim: “… quem sabe se não foi para tal tempo como este que chegaste ao reino?” Até aqui? Onde você estiver?

© Amor-Perfeito

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: