Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Provérbios 12: 26.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“O justo é cauteloso na amizade, mas o caminho dos ímpios os faz errar” – Pv. 12: 26.

Diga-me com quem andas e eu lhe direi quem és”. Essa é uma frase dos mais velhos, de duas ou três gerações passadas, mas que continua viva e pulsante: sabedoria pura. Qualquer pessoa mediana buscará ter amigos que tenham algo em comum consigo. Acredito que isso seja absolutamente normal. Mas isso acaba revelando um pouco do que a pessoa é e pensa. Existem certas “divisões” que não chegam a nos causar grande impacto e espanto, como, por exemplo, pessoas torcedoras de times rivais mantendo amizade sincera, ou o mesmo ocorrendo com pessoas que tenham inclinações políticas contrárias. Em situação de normalidade, no geral, as diferenças coexistem em relativa paz. E quando o ódio é cultivado de alguma forma, as pessoas tornam-se inimigas, por vezes, mortais. É o que acontece com o fanatismo religioso fundamentalista, que visa destruir seu próprio semelhante, sem tolerância alguma, sem respeito, sem amor.

Porém, uma coisa é conviver com todo tipo de pessoas, nas tantas relações sociais que nos rodeiam; outra, um pouco mais profunda, é ter uma amizade cara e verdadeira com alguém. É bom escolher os amigos certos, porque as más companhias podem não só corromper os bons costumes, como podem trazer à pessoa diversas situações complicadas e desgraças. Tomemos com exemplo disso toda pessoa que opta por andar com bandidos e/ou usuários de drogas. Por certo que, no bom sentido, são interesses e conveniências comuns que atraem as amizades. Logo, se eu não uso drogas, dificilmente eu vou manter uma relação de amizade com alguém que usa. Pode existir uma relação de cordialidade, o que é bem diferente. Um colega ou conhecido não são a mesma coisa que um amigo. E quem escolhe andar com o bandido ou com o usuário de drogas, além de ter algum interesse nisso, pode acabar sofrendo duras consequências, como o fato de fazer mal a alguém, ou acabar preso, viciado, doente, e, até, talvez, morto.

Esses interesses e conveniências ocorrem em todas as áreas da vida. Nós vamos procurar amizades que coadunem com o nosso particular modo de ser e de pensar. Se o caminho dos ímpios os faz errar, como no exemplo acima, o justo age com cautela. Justo, como já dito várias vezes em outras ocasiões, não é alguém que sempre age com justiça e é perfeito. Não. Justo é a pessoa que se entrega a Deus Pai, por Jesus Cristo, e é justificado. Justo é o “diminutivo” de justificado. E isso não é mérito de ninguém, senão do Senhor, que nos justifica, em Jesus. Ser “justo”, portanto, é ser de Jesus, é crer no Mestre e em Seus ensinos, é buscar a ética de Deus para a própria vida. Isso é “ser justo”. E sendo “justo” naturalmente a pessoa pende para amizades que lhe acrescentem algo de valor pessoal, nada material, mas coisas ligadas à essência e ao âmago de cada um, que até podem ser coisas (imateriais) comuns.

A amizade por vezes gera a circulação de coisas materiais, mas isso é tão somente consequência do laço da amizade e fraternidade, e não um fim em si mesmo. Se for “fim”, não é amizade. A “cautela” do verso nos é ensinada pela própria Bíblia Sagrada, que é o Livro da Vida, e é celebração da vida ter bons amigos. O amor que devemos ao próximo pouco ou nada tem a ver com a amizade. A amizade é uma espécie de irmandade; o amor ao próximo é Mandamento de Deus, e nisso se incluem o bandido e o usuário de drogas, e tudo (todos) o que você que lê este texto possa lembrar, por mais difícil que seja e pareça. Os amigos (os verdadeiros) são pessoas especiais para nós; já o “próximo” é todo o restante das pessoas, sem exceções, sobremaneira aqueles que Deus colocar em nossos caminhos. E todos os seres humanos são especiais para Deus, ainda que muitos se percam, para tristeza Dele, pelas amizades que fazem, inclusive. Amigos de verdade são como “joia rara”. Devemos cultivá-los com cuidado e apreço. Devemos evitar colocar a camaradagem em risco, a todo custo. Devemos sempre estar por perto, mesmo quando estamos longe. Devemos “levar” a amizade com integridade. Deus nos abençoe em nossas amizades, sobretudo a que temos com Jesus (João 15: 15), e nos livre do caminho dos ímpios, do erro, do engano, e de nos perdermos por aí.

© Amor-Perfeito

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: