Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Provérbios 26: 24.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Aquele que odeia dissimula com os lábios, mas no íntimo abriga o engano” – Pv. 26: 24.

Há muitas e muitas pessoas que não são verdadeiras quanto às suas intenções, inclinações, ideais e pensamentos. Por certo que ninguém “se abre” totalmente em suas relações sociais (no geral), porém, há um limite para isso, digo, entre ser honesto e desonesto. Só o tolo “descortina” a sua vida e seu ser por inteiro, e paga caro por isso. O prudente age com sabedoria e, sem deixar de ser íntegro, fala e mostra o suficiente e aquilo que for justo. Isso é absolutamente normal. O correto é, pois, dentro de certos limites razoáveis, nós agirmos sempre de “peito aberto” e com a consciência limpa. Creio que quem assim se conduz, age com amor. Agir com amor é uma atitude, não uma emoção, apesar de que a emoção, por vezes, também está presente. E quem assim age não abriga em seu íntimo o engano, porque não dissimula, pelo contrário, é verdadeiro.

Dissimulação não é coisa boa. Dissimulação é sinônimo de hipocrisia e fingimento. Atua com falsidade quem dissimula, porque oculta em seu íntimo seus verdadeiros sentimentos e intenções, e passa uma imagem diferente disso para os outros, geralmente boa, mas irreal, mentirosa. E há muita gente assim. Logo me vêm à mente os políticos, pois que nesta seara eles estão entre os campeões. Por conta disso que eu, particularmente, desprezo e abomino qualquer forma de política, pois sempre que ela existe, ela “ofusca” as coisas boas, quando não as “mata” de vez, e nada do que vem dela é confiável, tudo é aparência, “cortina de fumaça”. Mas é claro que existem pessoas assim em todos os lugares, nos púlpitos, inclusive. Quem dissimula atua com ódio, não com amor. Se dissimular, pois, então, defrauda, engana, ilude, confunde, esconde, não é de Deus.

Há pessoas cujos lábios “destilam favos de mel”, mas que têm o amargor na alma. “Almas negras”, sombrias, escuras, sinistras. E que enganam a muitos. Fazem com que os que estão à sua volta tenham uma percepção errônea a respeito delas, não correspondente à verdade. “Sepulcros caiados”, como nos exemplifica a Bíblia Sagrada, e, na “boca do povo”: “por fora bela viola, por dentro pão bolorento”. Tem-se, pois, bom julgamento delas e, com isso, nasce o afeto, a confiança, a simpatia, a proximidade, e até, por vezes, a amizade, enfim, vários tipos de relacionamentos. Pronto: consumado está um dos piores tipos de engano, de engodo. Todos esses sentimentos bons são nutridos em relação a essas pessoas más e sórdidas, que não hesitam em “atuar”, representando um papel, para defraudar e atingir os seus nefastos objetivos, que são os mais variados, diga-se de passagem. Dinheiro, sexo, poder, controle, satisfação pessoal, cobiça, posse, egoísmo, maldade, vaidade, vaidade de vaidades. E Deus sabe lá mais o quê possa vir a surgir do desvio do ser humano, da perversidade e da crueldade de seu coração.

O curioso é que essas pessoas cultivam e concretizam esses “enganos” em seus íntimos, externando coisas diversas. Só que ao Senhor o íntimo de qualquer pessoa está à vista, à mostra, nu: não há como enganá-Lo. Logo, esses indivíduos enganam muita gente, mas não todos, e nunca a Deus. Podem até enganar por toda a vida, mas o tempo de prestar contas chega sem demora, para qualquer um. E o autoengano é comum em gente assim, e isso é coisa autodestrutiva, com certeza. De todo modo, e sob qualquer perspectiva, é uma desgraça total ser uma dessas pessoas. Estas são como “bombas-relógio”: mais dia menos dia, quando menos se espera, “explodem”, “vão pelos ares”, sem volta, sem remédio. E o “inferno” está dentro delas, não há paz. Afinal, o contrário do amor é o ódio. Quem quiser um resumo sobre os benefícios do amor, leia, pois, 1 Coríntios 13 e Romanos 12: 9 a 21. De resto, o Texto Bíblico nos exorta a sempre agirmos com prudência e amor. Prudência para evitar as pessoas do verso. Cautela para descobri-las, antes de termos prejuízos. E pelo amor, para ver se possamos fazer algo de útil por elas. Por fim, algo não menos importante: devemos vigiar para que não nos transformemos em gente desse tipo, apesar de que é bem possível que caráter e índole contem para não sermos assim. De resto, que a misericórdia de Deus nos alcance, por Jesus, e nos livre desse mal. Amém e amém!

© Amor-Perfeito

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: