Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Provérbios 26: 27.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“O que faz uma cova, nela cairá; o que revolve a pedra, esta sobre ele rolará” – Pv. 26: 27.

Esse verso me trouxe à mente o “Efeito Borboleta”, a curiosa teoria que aponta a possibilidade de que o simples bater de asas de uma borboleta em Pequim poderia influenciar o curso natural das coisas e, assim, ocasionalmente, provocar um tufão do outro lado do Mundo. Talvez haja exagero nessa afirmação, ou talvez não seja exagero, mas, sim, ênfase em se dizer que toda ação ou omissão tem alguma consequência, sem se julgar se esta será boa ou má. Algo do tipo “ação e reação”. Pesquisei e vi que o “Efeito Borboleta” faz parte da “Teoria do Caos”, e tem larga aplicação em várias áreas, especialmente em sistemas naturais, que sejam dinâmicos, complexos e adaptativos. Só por curiosidade (Wikipédia): o “Efeito Borboleta” foi descoberto (quase por acaso, segundo consta) por Edward Lorenz, quando estava trabalhando com previsões meteorológicas no MIT, e verificou a influência ocasionada em sistemas dinâmicos, quando feitas alterações muito pequenas nos dados iniciais inseridos em computadores numéricos, programados para fazerem cálculos em série.

E o que isso tudo tem a ver com o verso, afinal? Ora, a vida é uma rede intrincada de fatos, eventos e incontáveis situações, nos quais se misturam vontades, interesses e necessidades. As influências e possíveis resultados da maioria das atitudes e condutas praticadas são, em sua maioria, imprevisíveis. Uma mentira, por exemplo, pode chegar a causar a morte de uma terceira pessoa, totalmente inocente. Assisti a uma série de televisão na qual um desatino e uma mentira de uma personagem levou o enredo a um “banho de sangue”, e muitas pessoas, com e sem ligação direta com o fato, perderam as suas vidas, fora o sofrimento. Isso ocorreu na ficção, por certo, mas será que já não houve situações semelhantes na vida real? “A arte imita a vida”. Basicamente, pois, o verso trata do fato de que tudo o que fizermos em nossas vidas nos trará consequências. Não só para nós, mas, eventualmente, para outras pessoas também. Por certo, pois, que o verso vem em forma de metáfora e, assim, é preciso discerni-lo. Portanto, nada contra os coveiros e mineradores. E o verso nos traz exemplos negativos, que se traduzem no “fazer” algo errado e, em seguida, ter de sofrer os efeitos nefastos do ato/omissão praticados. Pagar o preço.

Não podemos nos esquecer de que a Bíblia Sagrada é um Livro Espiritual, que contém em si Mesma as Leis de Deus. E essas Leis são incontornáveis. As pessoas que se enveredam pelos maus caminhos, e fazem alianças com o mal, não se furtam de sofrer a devida paga por seus atos, ainda que, aparentemente, não percebamos o castigo. O “inferno” pode estar dentro delas, e não na aparência (“Por fora devastará a espada, e por dentro o pavor” Deuteronômio 32: 25 – 1.ª Parte). Tudo o que se faz de mal se perfaz em alguma dívida a ser saldada. Provérbios 22: 8 – 1.ª Parte: O que semeia a perversidade, sega males. Versão de Oséias para um ditado popular bastante conhecido, sobre o iminente castigo de Deus para pessoas com condutas ruins e inadequadas: Eles semeiam ventos, e colhem tormentas. Não haverá seara; a erva não dará farinha. Se a der, tragá-la-ão os estrangeirosOséias 8: 7. Juízo do Senhor para aqueles que O desafiarem: Não vos enganeis: Deus não se deixa escarnecer. Tudo o que o homem semear, isso também ceifaráGálatas 6: 7.

E tem mais, sempre com a dita “sabedoria popular” fazendo suas próprias versões (“quem com ferro fere, com ferro será ferido”), nas palavras de Jesus, quando Simão Pedro feriu a Malco na orelha (servo do Sumo-Sacerdote), na ocasião da prisão do Mestre, disse Ele: Embainha a tua espada, pois todos que lançarem mão da espada à espada morrerãoMateus 26: 52. Pedro foi repreendido por Jesus, creio eu, por dois motivos: primeiro porque Deus (o Senhor Jesus) não precisa de ninguém que O defenda (Mateus 26: 53); segundo porque o castigo do Céu é certo, e Ele queria ensinar isso a todos, a nós hoje em dia, inclusive. Que diremos, pois, a essas coisas? Precisamos confiar na Justiça de Deus, por um lado, e por outro nos comportarmos à altura de varões e varoas perfeitos/as. Sejamos, pois, todos íntegros para com Deus, e uns para com os outros, sempre preocupados e ocupados em fazer o bem. Conselho de Jesus para nós: Tende sal em vós mesmos, e paz uns com os outros Marcos 9: 50 – 2.ª Parte.

© Amor-Perfeito

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: