Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Apocalipse 14: 12.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Aqui está a perseverança dos santos, daqueles que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” – Ap. 14: 12.

Não é fácil entender o Livro do Apocalipse, Revelação em inglês (Revelation). Nem sempre é possível ter em mente de forma clara o entendimento de trechos desse Livro e, assim, muito menos de forma global. Ou seja, as Revelações de Apocalipse, justamente por sua falta de clareza e extensa simbologia, geram inúmeras interpretações, algumas até divergentes entre si. Mas a Bíblia Sagrada, em seu conjunto, é um Livro “vivo”, “pulsante”, que “fala” conosco e nos ensina sobre as coisas inerentes ao Reino de Deus. Desse modo, sem querer destoar do contexto, chamou-me atenção o tema a respeito da perseverança dos santos. Duas situações estão evidenciadas pelo verso, nesse passo: é preciso, para que se tenha (e se a mantenha) a perseverança, tanto a observância aos Mandamentos de Deus, quanto guardar a fé em Cristo Jesus. Essas são premissas fundamentais inafastáveis. Mas o verso fala de outra perseverança, e toma como basilar, apenas, o complemento fundado nessas premissas, de maneira que não é sobre ele a referência.

Claro que os versos anteriores nos dão ideia do que seria essa perseverança. Algo ligado aos acontecimentos dos últimos tempos. E os santos (crentes em Jesus) devem ter a capacidade de suportar muitas coisas ruins, e outras tantas muito ruins, horríveis. A Bíblia Sagrada é uma grande Profecia, o que se atesta pelo verso 19 de Apocalipse 22. Algumas coisas e/ou eventos, pois, estão fadados a acontecer, notadamente porque se trata de uma Profecia, Palavra de Deus. Logo, creio eu que algumas orações são inúteis. Exemplo: orar pela paz Mundial – isso me parece uma impossibilidade, porque a Profecia nos encaminha para guerras, fomes e pestes (Mateus 24: 1 a 14). Paz entre Israel e o Mundo Árabe – outra impossibilidade, a princípio (Gálatas 4: 29). Posso estar errado (admito) ao dar esses dois exemplos, e até prefiro estar errado, mas pelo que a Bíblia nos revela só mesmo a volta do Senhor Jesus para acertar todas as coisas.

E independentemente de tudo isso, o ser humano enfrenta em sua vida, ainda, toda sorte de infortúnios e mazelas. Tudo pode estar bem até, mas, mesmo assim, há os cuidados da vida, normais e cotidianos, dos quais ninguém escapa. Viver dá trabalho, e custa-nos caro em esforço e resignação. Há, também, o desenrolar da vida no tempo (que não volta), com seus eventos naturais, ordinários. Alguns desses eventos causam-nos sofrimento e dores. O meio em que vivemos é outra “teia que nos enreda” e nos afeta de várias maneiras. Com a Globalização e a internet, o Mundo ficou pequeno e nós sofremos a opressão que todos sofrem. Um terremoto no Japão, uma bomba na Turquia, a devastação na Síria, injustiça e dor por todos os lados. E ao alcance de alguns botões do teclado, nós nos “atualizamos” a respeito de todas as barbaridades possíveis. Ora, já vivemos em meio à fome, guerras, rumores de guerras e pestes. Ou não? E vemos todos os dias as mais absurdas injustiças, especialmente aquelas derivadas de política e de políticos corruptos. Estes últimos, com seus roubos, desvios e malfeitos, têm “sangue nas mãos”, e são responsáveis diretos pela morte e desventuras de muitas pessoas.

Além de tudo isso, ainda, nós temos de lidar com as nossas próprias questões existenciais, inquietudes e inseguranças, que, para muitos (talvez, a maioria), trata-se de um grande desafio. Todas essas coisas “nos espremem”, nos oprimem a ponto de ameaçar a integridade da nossa perseverança para com Deus Pai. Porém, se nós fizemos a opção de confiar no Senhor, entregando-Lhe as nossas vidas por meio de Cristo Jesus, nós precisamos deixar a emoção de lado e racionalizar tudo isso. Não é difícil encontrar por aí pessoas cansadas e no limite, estressadas e fartas de tudo à sua volta. E não é difícil encontrar um crente em Jesus nessa situação. O pecado ou o problema não é nem está no fato de se estar nessa situação, mas, sim, deixar de perseverar, perder a fé. Nada nem ninguém hão de mudar por conta de nossa insatisfação e indignação. Basta a cada dia o seu próprio malMateus 6: 34, in fine. E Quem é injusto, faça injustiça ainda; quem está sujo, suje-se ainda; quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, santifique-se aindaApocalipse 22: 11. Nós, portanto (pondo de lado tudo que está aquém do nosso controle e/ou intervenção), lutemos para perseverar na fé em Cristo Jesus. Talvez seja essa a razão de Deus vir a Se instalar em nossos corações, pelo Espírito Santo: para que aquilo que vem de fora não nos contamine nem abale. Que o Senhor nos guarde até o fim, perseverantes, Nele.

© Amor-Perfeito

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: