Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Hebreus 10: 25.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Não deixando de congregar-nos, como é costume de alguns, mas admoestemo-nos uns aos outros, e tanto mais quanto vedes que se vai aproximando aquele dia” – Hb. 10: 25.

Este verso é largamente utilizado para dizer que as pessoas devem congregar em alguma igreja, como obrigação ou mandamento. E está em pecado se não estiver nesse estado. O assunto é polêmico, eu sei e reconheço. Há também aqueles que o utilizam (o verso) para dizer que a pessoa só pode frequentar determinada igreja, e é pecado ir, ou até mesmo visitar, outra “denominação”. Logo de início eu quero dizer que sou absolutamente a favor de se frequentar alguma igreja de Jesus. Ora, eu me converti ao Senhor por conta de uma dessas igrejas. O problema, pois, não está em frequentar ou não uma ou outra igreja, mas, sim, na manipulação e nas igrejas que não são de Jesus, e pior: nas pessoas que não são de Jesus, e que dizem ser de Jesus, e que aparentam ser de Jesus. 

Outro dia, via internet, assisti a uma pregação de um pastor que considero homem de Deus, sério e idôneo, e ele em sua pregação dizia que há igrejas que interpretam a Bíblia de forma diferente da interpretação da que ele dá na igreja dele. Ou como ele “” as Escrituras, já que ele é o pastor principal. E em muitos casos, dizia ele, não existe problema algum, porém, em outros, a desgraça é total. E ele frisou bem isso, pois, foi categórico em afirmar que nem estava falando dos estelionatários da fé, que muitos de nós percebemos com facilidade, mas de algo bem mais sutil, mais tênue. O Evangelho está sendo pregado em vários lugares com muito mais acertos do que erros, e tem sido válido. Há muitas diferenças entre as pessoas, culturas, povos, línguas, nações e épocas. E parece que Deus Pai não gosta de “padrões”, afinal, além de toda essa diversidade, não existe uma pessoa igual à outra. É verdade ou não é?

Ora, então, se uma pessoa se diz cristã e, ainda, afirma que ama a Jesus Cristo de Nazaré, a “placa” da igreja obrigatoriamente “cai”, e ela se torna parte integrante do Povo de Deus. A pessoa é de Jesus e pronto, ponto final. Pecado horrendo (acho eu) é querer deter para si ou numa única instituição qualquer o monopólio da Verdade, que pertence a Deus. E somente ao Senhor. Responda uma pergunta (retórica), em seu íntimo: igreja salva? Pois é, não salva. O Caminho, e a Verdade, e a Vida se concentram em… Jesus Cristo! (João 14: 6). E em mais ninguém. Em tempos idos a “Congregação do Senhor” era e sempre foi o Povo de Deus (1 Crônicas 28: 8). Essa proposição é anterior ao primeiro Templo de Deus, erigido por Salomão, tempos depois. Congregar, portanto, não é a pessoa estar ligada a essa ou aquela instituição, não, congregar é fazer parte do Povo de Deus (ser de Jesus), da “Congregação do Senhor”, antes se considerando somente o Povo Eleito (Israel), mas, em seguida, por Jesus, de modo universal, com a grata entrada dos Gentios. 

Existe uma passagem Bíblica muito bonita e bastante elucidativa, nesse sentido (2 Reis 5: 1 a 19). É a história de Naamã, chefe do exército do rei da Síria, na época do profeta Eliseu. Esse homem valente e poderoso, em síntese, era leproso, e tinha em sua casa uma escrava israelita, uma menina a serviço de sua mulher. Ela disse à sua senhora, que disse ao seu senhor, que em Samaria havia um profeta que poderia lhe curar da lepra. Assim, com autorização e carta do rei da Síria ao rei de Israel, lá foi Naamã, com grande comitiva e presentes, procurar o profeta do Senhor. Este provável general era homem importante e de pompa, mas o rei de Israel, ao ler a carta do rei da Síria, rasgou suas vestes e se indignou, visto que a missiva lhe rogava a cura de Naamã, mas ele era apenas um homem, e entendeu o caso como uma armadilha. De todo modo, Eliseu, o homem de Deus, assentiu com relação ao pedido, dizendo que havia Deus em Israel. Porém, quando Naamã se acercou de onde habitava o profeta, este, sem sequer recebê-lo, movido por Deus e recusando todos os “presentes”, mandou um mensageiro lhe dizer para se banhar no rio Jordão sete vezes, e então seria purificado.

Desta vez, no entanto, quem ficou indignado foi Naamã, pois esperava grandes sinais e prodígios, e disse para seus circunstantes: Não são Abana e Farfar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? Não poderia eu lavar-me neles, e ser purificado?2 Reis 5: 12, 1.ª e 2.ª Partes. E já ia indo embora quando alguns de seus servos intervieram e lhe disseram: Meu pai, se o profeta te houvesse indicado alguma coisa difícil, não a terias feito? Quanto mais dizendo-te ele: Lava-te, e serás purificado2 Reis 5: 13. Convencido, pois, foi Naamã ao Jordão, mergulhou sete vezes, e foi purificado da lepra. Então voltou Naamã ao profeta Eliseu e lhe disse que jamais prestaria sacrifício a outro deus, senão ao Senhor, mas que seria obrigado a se curvar diante de Rimon, deus da Síria, por causa de seu rei. Ao que Eliseu lhe respondeu: Vai-te em paz2 Reis 5: 19 – Última Parte. Na terra de Naamã não havia culto ao Senhor, nem onde congregar, mas ele se fez parte do Povo de Deus, de coração, ainda que fosse Gentio. Logo, de coração, sejamos nós integrantes do Povo de Deus, da “Congregação do Senhor”, sem divisões, e trilhemos em paz os nossos caminhos, em Jesus. Vai-te em paz – disse o profeta, homem de Deus.

© Amor-Perfeito

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: