Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

1 Pedro 4: 10.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Servi uns aos outros conforme o dom que cada um recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus” – 1 Pe. 4: 10.

Dom é um presente e/ou uma dádiva de Deus. Sim, porque a pessoa já nasce propensa a desenvolver bem e de forma diferenciada alguma determinada atividade, seja intelectual seja física. É, pois, uma qualidade inata, uma característica particular e própria de alguém. Os esportes exemplificam bem isso: alguém pode gostar muito de jogar futebol, porém, não ser bom de bola. O fato de gostar muito de jogar futebol não o ajuda a ser bom jogador. A pessoa pode treinar à exaustão, mas nunca será craque. Outro exemplo é a música. Se alguém “tem ouvido” ou voz boa, pode se tornar músico ou cantor. Na mesma medida, a prática ajuda, mas não torna a pessoa em artista nem lhe traz fama. O falecido piloto de F1, Ayrton Senna, tinha uma habilidade de pilotar/dirigir fora do comum, não é mesmo? Dom.

Algumas situações envolvendo dons são curiosas. Veja-se o caso do pintor holandês Vincent Van Gogh. As suas pinceladas são tão marcantes, únicas, que basta olhar para um quadro para identificá-lo como dele. Ninguém mais tem tal talento e modo de pintar (como ele), salvo alguém que o imite. Porém, o estilo é todo dele. E as esculturas de Michelangelo? A perfeição desse italiano nessa arte é incomparável, não é? Pois que são essas coisas que nos vêm à mente quando pensamos em dom. Claro que os exemplos acima dados são extremos e não ilustram o cerne do verso. O verso é bem claro em dizer que todas as pessoas possuem dons de Deus. E o Senhor deseja que usemos os nossos dons em favor das outras pessoas.

Se alguém ler este texto e consigo pensar que não tem dom algum, bem, essa pessoa estará equivocada. Dom não é necessariamente algo singular, como foi com Michelangelo, Van Gogh e Ayrton Senna. Há incontáveis outros tipos de dons, mais comuns (mas não menos importantes e relevantes), que todos nós temos, em maior ou menor grau. Gosto do exemplo de uma mãe com filhos, cujo dom é ser dona de casa, e cuidar de tudo e de todos. E se alguém pensou em machismo de minha parte, por dar este exemplo, leia Provérbios, Capítulo 31, e veja que está enganado. A Obra de Deus se faz com a soma de todos os dons. Logo, alguns dons ficam nos “bastidores”, mas dão sustentação ao todo, mesmo que “pareçam” ser menos nobres. Mas não são. O pastor, por exemplo, deve ter o dom de cuidado, além de saber pregar. Se não tem o dom de cuidado (o principal), ele é no máximo um pregador, não devia ser pastor. E isso não o desmerece, de jeito nenhum, se exercita seu dom em favor do próximo e com integridade.   

A multiforme graça de Deus distribui dons a todas as pessoas, sendo que nós todos nos tornamos despenseiros dessa graça. Contudo, o Senhor não quer que sejamos apenas despenseiros, mas, sim, bons despenseiros, de modo que precisamos exercitar os nossos dons. O dom que cada um recebeu não pode ser negligenciado ou utilizado unicamente em proveito próprio, não, mas o dom que cada um recebeu deve ser fonte de bênçãos aos nossos semelhantes. Este texto, por exemplo, escrito no Brasil, será lido em Angola, Moçambique, Portugal, e até nos Estados Unidos, além de outros tantos países. Da minha “despensa”, eu retiro e exercito um dos dons que Deus me deu, e escrevo mensagens como esta; e estes singelos textos consolam, edificam e alegram múltiplas pessoas (a esmagadora maioria eu nem conheço) em lugares longínquos, do meu ponto de vista geográfico. Por isso, não se iluda: você tem vários dons de Deus consigo. Quais são os seus dons? Você escreve, como eu? Você é generoso(a), ajuda os outros? Ou você tem o dom de cuidado? Prega bem? Tem boa oratória? É bom/boa ouvinte? Conselheiro(a), com boas perspectivas? Ora, é impossível listar todos os dons, mas, pela multiforme graça de Deus, alguns deles estão em você. Estão em você. Não os deixe em sua “despensa”, use-os em prol do Reino de Deus, e jamais se sinta inferior a quem quer que seja, porque dom de Deus é coisa séria. O Senhor conta conosco e com os nossos dons, afinal, disse o Mestre que “a seara é grande, mas poucos são os ceifeiros”. Assim sendo, pois, mãos à Obra, meus caros irmãos e irmãs! Em Jesus nós somos fortes!

© Amor-Perfeito

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: