Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

1 Timóteo 5: 8.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Mas, se alguém não cuida dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior que o incrédulo” – 1 Tm. 5: 8.

Eu leio esse verso, e uma palavra vem à minha mente: generosidade. Eu leio novamente o verso, e outra palavra me incomoda: compaixão. Mais uma vez eu leio esse verso e uma possível dúvida surge: eu devo dar o meu dízimo à igreja que eu frequento, mesmo se alguém na minha família estiver precisando desse dinheiro? Ou é obrigatório dar o dízimo somente na igreja? Acho que vou deixar o Senhor Jesus responder a essas perguntas: … Jeitosamente rejeitais o mandamento de Deus para guardardes a vossa própria tradição. Pois Moisés disse: Honra a teu pai e a tua mãe, e quem maldisser a seu pai ou a sua mãe, seja punido de morte. Vós, porém, dizeis: Se alguém disser a seu pai ou a sua mãe: Aquilo que poderias aproveitar de mim é Corbã, isto é, oferta ao Senhor, nada mais lhe deixais fazer por seu pai ou por sua mãe. Invalidais, assim, a palavra de Deus pela vossa própria tradição, que vós mesmo transmitistes. E fazeis muitas coisas semelhantes a estasMarcos 7: 9 a 13.

Fortes são as palavras do Mestre, não? Ora, o Mandamento considerado um dos dois Pilares do cumprimento do Evangelho é “amar o próximo como amas a ti mesmo” (Mateus 22 34 a 40). E antecipando qualquer pensamento equivocado, eu não acho errado dar o dízimo na igreja que a pessoa frequenta. Este é um compromisso assumido por alguém com a Obra de Deus que se faz por lá (ao menos, nos trabalhos idôneos, conduzidos por indivíduos íntegros). Porém, o Senhor Jesus parece ser claro ao dizer que o primeiro compromisso de alguém é ser generoso e compassivo com os seus. E estendo isso às pessoas sobre as quais Deus Pai “sussurrar” em nossos corações: ajude-o, ajude-a. Até mesmo desconhecidos. A quem você vai obedecer? Ao Senhor, que te direciona, ou o “líder religioso” que diz ser pecado não dar o dízimo na igreja?

Sou um pequenino servo de Deus, por Jesus, por isso não vou responder a essa pergunta, não, mas lhes deixo aqui uma boa resposta, a de Pedro e dos Apóstolos perante o Sinédrio, quando postos em conflito interno (como se diz: foram postos “contra a parede”) pelo então Sumo-Sacerdote: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens!Atos 5: 29 – 2.ª Parte. Nosso país é laico, ou seja, não mistura política com religião, e há Garantias Constitucionais Individuais sobre a liberdade de culto e de crença. Por conta disso, dificilmente a “máquina” do Estado consegue enquadrar um “líder religioso” como incurso em crimes de estelionato e de formação de quadrilha Etc. Mas o que acontece com frequência por aí é exatamente isso: manipulação religiosa com fins de enriquecimento ilícito. Crimes de fé. Êxtases forjados a fim de que o fiel contribua. Achaques por ganância, com vistas a que o incauto esvazie a sua carteira. Medo e culpa, como “ingredientes” de uma odiosa oratória falsa, para que a plateia se sinta compelida a doar, como se expiação de pecados fosse.

Misericórdia, digo eu! Não é assim que se faz. O “líder religioso” que prega a obrigatoriedade do dízimo em sua igreja ou seita, e que com isso tira comida da mesa dos mais simples, é um crápula. O “líder religioso” que diz para alguém dar 10 para receber 1000, é um bandido, estelionatário da fé alheia. O “líder religioso” que te obriga a fazer cursos e mais cursos, pagos, por óbvio, para que você possa participar das atividades da igreja, é um falso profeta que “fideliza o seu bolso”. O “líder religioso”, que afirma que você deve doar os seus bens para a instituição que ele representa, é um ladrão desgraçado, que serve a si próprio, e não a Jesus Cristo de Nazaré. E há uma infinidade de outros exemplos parecidos e igualmente nefastos. Não caia nesses autênticos “contos do vigário”, seja livre em Jesus. Ajude a todas as pessoas que puder ajudar; aquelas que o Senhor te indicar, no seu âmago. Ajude os seus familiares a ter algum conforto material, se for o caso. Mesmo abrindo mão de dar o dízimo na igreja? Sim! Sim! Sim! O Senhor não se satisfaz com o sacrifício do dízimo ou de uma oferta, mas, sim, com o coração fraterno, generoso e compassivo. Colabore com a sua igreja, claro, mas com razoabilidade e discernimento. Raciocine, pense, e leia a Bíblia Sagrada, veja se vale a pena e se está certo o discurso do pregador, se não é loucura coletiva provocada. Não se deixe levar por ardis de pessoas mal-intencionadas. E primordial: não se venda, seja íntegro sempre. Deus não precisa do seu dinheiro, Ele quer ver desprendimento e retidão, de generosidade e de compaixão, no seu coração.

© Amor-Perfeito

Um bom texto complementar em relação a este assunto: OURO, PRATA e BRONZE,  de Ed René Kivitz (Pastor da IBAB): https://1v1v.wordpress.com/2011/06/03/ouro-prata-e-bronze-ed-rene-kivitz/ 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: