Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Salmo 23: 6.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Certamente que a bondade e o amor me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor para sempre” – Sl. 23: 6.

Esse é o último verso do Salmo 23, cuja autoria é atribuída ao Rei Davi. É um Salmo repleto de bem-aventuranças e de esperança. Pleno de louvor, glória e de gratidão a Deus. Lindo, lindo. A leitura deste Salmo (inteiro) faz as nossas almas descansarem à sombra do Altíssimo, e nos dá incrível sensação de segurança e de paz. Recitar esse Texto Sagrado, ainda que mentalmente, é uma belíssima forma de exaltar ao Senhor, de prestar-Lhe culto, em sagrada e divina honra. Palavras como essas nos aproximam de Deus Pai, reforçam o nosso relacionamento com Ele, aplacam os nossos medos e temores, acalmam os nossos anseios e ansiedades.  

O Senhor nos guia e guarda, zela por nós, e nos protege. Ele é o nosso Pastor, Bom Pastor, Aquele que jamais descuida de Suas ovelhas. Ele está atento aos nossos caminhos, e nos dá refrigério e descanso em meio às tribulações e dificuldades da vida. Mesmo nos dias mais difíceis e sombrios Ele está conosco, seja por Espírito, seja por Jesus, amado Emanuel, Deus sempre presente. Nas tempestades e tormentas Jesus está no barco, na fome o Mestre multiplica os mantimentos, na intimidade Ele nos ensina e abraça. Não há, pois, o que temer. Toda boa consolação vem Dele, visto que Ele nos governa com Justiça, e a Sua autoridade e poder são a garantia de nossa tranquilidade. Com mãos e braços fortes Ele conduz as vidas de Seus santos, e sobre nós reina com soberania e integridade. Com amor.

Deus Pai desfaz as ações e as intenções de nossos inimigos, e tira toda a eficácia de qualquer maldade que nos tenha, porventura, como alvos. A nós outros nos é dado assentarmo-nos à Mesa do Senhor. A Mesa do Senhor, que é posta apenas àqueles que O amam. Por isso, nem todos partilham de Suas delícias. Ao inimigo é vedado sentar-se, restando-lhe tão somente assistir à distância, com olhar lânguido, ao “banquete” que Deus prepara para o exclusivo deleite dos Seus. Esta é a felicidade celestial dos santos, Céu na terra. E a estes, pois, nunca lhes falta o óleo sobre as suas cabeças, em boa medida, transbordante, unção de Deus. Os santos estão selados Nele, protegidos e cobertos pela incessante e constante ação e intervenção do Espírito Santo. Rios de água viva fluem de seus ventres…

Tudo isso mais a promessa de que a bondade e o amor nos seguirão, sempre. E depois um lugar no Céu. Moradas de Deus, segundo benditas palavras de nosso Senhor Jesus Cristo. O crente em Jesus tem todas essas coisas, mesmo vivendo uma vida difícil e árdua. O que acontece no cotidiano da vida, ou como “pano de fundo”, não é parâmetro de julgamento para se afirmar se a vida é boa ou não é. Com Cristo as coisas na vida podem até desandar, mas é certo que no âmago da pessoa também podem existir todas essas maravilhas (do Salmo 23). Existe pouca correlação prática entre o que acontece na vida, pessoal ou geral, com as benesses de Deus. Pensar de outra forma seria o mesmo que dizer que Deus é responsável por tudo o que acontece, seja bem ou mal, até as injustiças e barbaridades que comumente vemos por aí.

As coisas concernentes a Deus, que conquistamos em Jesus, nos ajudam a tocar as nossas vidas, isso é certo; mas não é o mesmo que dizer que as nossas vidas serão ou se converterão em um “mar de rosas”, “céu de brigadeiro”, se acaso venhamos a nos entregar a Jesus, só por isso. Tal afirmação é “estelionato espiritual”. A César o que é de César, a Deus o que é de Deus. Cada coisa no seu devido lugar, “cada macaco no seu galho”. Todas as promessas do Senhor são reais, mas a vida pode ser dura, cada um tem a sua. E nenhuma vida se priva de dificuldades e de infortúnios. “Vir a Deus” não livra a pessoa de viver sua vida. Encarar a vida com Deus, no entanto, é melhor do que fazer isso sem Ele, fato. Quem “vem a Deus” deve a Ele vir por quem Ele é, tão somente, e não por qualquer outro motivo que indique barganha ou vil interesse. O melhor dos cenários é a pessoa se entregar a Deus por simples amor a Ele (sincero), sem esperar nada em troca, ainda que isso seja impossível, dada a natureza galardoadora de um Deus que é, sobretudo, Pai.

© Amor-Perfeito

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: