Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Provérbios 16: 18.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito, a queda” – Pv. 16: 18.

Tragédia anunciada é a sina da pessoa que age com soberba, arrogância e altivez. Não há outro resultado possível. E é situação triste, visto que em todo lugar encontramos pessoas que assim se postam diante da vida e de seus semelhantes. Alguns, por motivos variados, se acham superiores aos demais, mas a condição do ser humano é exatamente a mesma para todos, sem exceções (aqui não se fala de condições transitórias, mas de essência, de origem e de destino). Como bem colocado por Nilton Bonder: “Somos todos iguais e ao mesmo tempo únicos”.

A vida é o intervalo entre a origem e o destino. E a essência é tudo aquilo que o ser humano tem em si mesmo, de comum e ordinário (inerente), que todos os outros também têm. Como exemplo, para ser bem direto e franco, correndo o risco de ser rude até: se qualquer pessoa deixa de tomar banho, certamente federá. Se não tem asseio, exalará mau cheiro. Se não se alimenta, definhará, adoecerá, quiçá morrerá. E assim por diante. São nessas coisas, e não só nas materiais, mas nas espirituais também, que não há diferenças entre os homens.

Riqueza, fama, poder, beleza, destrezas e outros predicados do gênero geram diferenças nos seres humanos, mas não em relação às igualdades essenciais. E são justamente essas características (transitórias, efêmeras), geralmente, que fazem alguém se sentir altivo, e se tornar arrogante e soberbo. Isso porque tais estados ou situações dão algum destaque à pessoa, que passa a se sentir superior ao resto. Mas essas coisas não passam (como dito) de condições passageiras, de somenos importância (especialmente para Deus Pai), meras aparências, Ilusões puras. Aprecio muito um ditado italiano que diz mais ou menos assim: “findo o jogo, todas as peças são guardadas na mesma caixa”.

De todo modo, mesmo diante de verdades absolutas como a da máxima italiana logo acima mencionada, sempre houve e sempre haverá aqueles que se veem como superiores aos demais. E, invariavelmente, isso faz com que essas pessoas tenham uma falsa impressão de si mesmas, levando-as a serem altivas, arrogantes, soberbas. São estes os “mais importantes”, “nobres”, chamados de “cidadãos de 1.ª classe”, comumente autodenominados assim e, nessa esteira, o Mundo todo está aí só para servi-los e atendê-los. Mas estes infelizes se esquecem de que são formados da mesma matéria de todos, e que no “fim do jogo”, sem exceções, “vão para a mesma caixa” (sem se levar em conta a questão do Céu e do inferno, cuja discussão não cabe aqui).

Não há, pois, ninguém especial nessa vida. Deus valoriza muito o ser humano e sua diversidade, mas a humildade é a condição maior que o coroa. O Senhor honra aquele que é simples, que age com humildade, que conhece o seu lugar (tem presença de espírito), que não abusa de ninguém, que trata o seu semelhante com respeito e bondade, que ama o próximo, que é fraterno e piedoso. Depende de cada um de nós, portanto, escolher o que será e como se conduzirá pela vida: se com humildade e com consciência do que se é, de fato (dependente de Deus e frágil); ou se será um coitado e iludido, deslumbrado e narcisista, condenado a viver “na bolha de si mesmo”, altivo, arrogante, soberbo, sem saída, sem Deus. Qual é, pois, a tua vereda? Bênção ou maldição? Elevação ou queda? Integridade ou ruína? Júbilo divino ou tragédia anunciada?

© Amor-Perfeito

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: