Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Provérbios 27: 1.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Não presumas do dia de amanhã, pois não sabes o que produzirá o dia” – Pv. 27: 1.

Um instante! Um mísero instante. É preciso apenas um “estalar de dedos” para mudar a vida de uma pessoa, ou mesmo findá-la. Não sabemos o que nos reserva os próximos segundos de nossa existência, que se dirá de daqui à uma hora, ou dias, meses e anos. O futuro é uma incógnita, “página a ser escrita”, ainda que tenhamos alguma capacidade de supor certas coisas, dentro de determinada normalidade. Por certo temos expectativas, porém, sem quaisquer garantias.

A leitura do verso acima transcrito, no entanto, não deve nos causar o efeito ou ideia de que não devemos ter planos e sonhos. Não, definitivamente não é isso. Trata-se, de outra sorte, de uma lição de humildade, pois ele (o verso) nos revela nossa nudez e fragilidade perante Deus e os homens. O óbvio, na verdade. Por outro lado, se nos firmarmos na literalidade do verso, então o “presunçoso” seria aquele cidadão excessivamente vaidoso, a tal ponto de achar que é alguma coisa, sendo nada. A esse sujeito falta humildade, por certo, e abunda nele o orgulho, a altivez e a soberba. Ora, vaidade de vaidades! – em lembrança do dito do Pregador, de Eclesiastes. Nada humano é eterno, salvo o substrato do ser humano.

Quem se envaidece a ponto de pensar que tem algum controle do futuro, vive no engano. Está equivocado. “O futuro a Deus pertence”, nos ensina a sabedoria popular.  E só a Ele mesmo pertence o futuro, de fato, diga-se de passagem. A Bíblia complementa este ensino quando nos diz que não devemos “andar ansiosos” pelo dia de amanhã, pois, “Basta a cada dia o seu próprio mal” – Mateus 6: 34. Não se negocia com o destino, nem com o futuro, tampouco com a vida: os nossos dias estão contados, e devemos vivê-los com humildade na presença de Deus. Assim há esperança.

O estado ideal do ser humano, pois, é reconhecer sua pequenez e ter sempre em mente a sua dependência de Deus Pai. O Senhor não “emancipa” ninguém, e mesmo assim tem gente por aí que é “deus de si mesmo”. Pobres coitados! De outra banda, felizes aqueles que se entregam a Deus, por Jesus, e passam a desfrutar de condição única no Universo: a de tê-Lo por amigo e de ser tido por Seu filho. Livre-arbítrio não é sinônimo de emancipação; e voluntariedade em amá-Lo é mesmo ser Dele dependente em todas as coisas. O melhor de tudo, no entanto, é saber que Ele está ao nosso lado no presente, e estará também conosco no futuro, mesmo que o dia de amanhã ainda não exista.

© Amor-Perfeito

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: