Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Efésios 2: 3.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade, cada um considere os outros superiores a si mesmo” – Ef. 2: 3.

Muito difícil de encontrar alguém que tenha em si mesmo humildade suficiente a ponto de considerar os outros, de modo geral, superiores a si próprio. O comum é o “bicho homem” lutar com “unhas e dentes” por espaço no meio em que vive. “Bicho homem”, selvagem e feroz. Na Índia existe o sistema de castas que, segundo consta, é bastante fechado. Por esse sistema se a pessoa nasce numa determinada casta, nela permanece até a morte (não há como progredir na vida, ou mudar de “status”). Não sei dizer se isso mudou por lá, diante do Capitalismo e da adoção de costumes ocidentais, porém, no Mundo que, talvez, a maioria conheça e viva, impera a competição e a ambição, além da relativa liberdade de escolhas e de oportunidades.

Por outro lado, não podemos fechar os olhos para o fato de que entre os cristãos muitas diferenças são criadas e até cultivadas, e disso decorrem muitos conflitos e injustiças. Muitos há que se veem como superiores à maioria. Ou porque são ricos, ou porque são bonitos, ou porque ocupam algum cargo secular (que lhes dê autoridade sobre outras pessoas) ou na igreja, e por aí vai. Vaidade de vaidades! Se alguém tem alguma coisa ou é rico, Deus lhe deu; se alguém é bonito, deve graças a Deus; se alguém ocupa um cargo, qualquer cargo, Deus Pai assim lhe permitiu que o ocupasse; e por aí vai. Fato é que sempre haverá gente acima e gente abaixo do que somos (e fazemos e temos). E quanto mais acima, mais responsabilidade. Não é fácil ser “bicho homem”, afinal.

O grande dilema do homem está nas intenções do seu coração. Não é pecado ser rico, ou bonito, ou ocupar algum cargo, e por aí vai. O equívoco é achar que o mérito de estar, ter ou ser é só seu. E o erro crasso é abusar disso com base nessa ideia. Se há contenda ou vanglória nas ações de alguém em relação ao próximo, pelos termos do verso: pecado. Se não há contenda ou vanglória nas ações de alguém em relação ao próximo, pelos termos do verso: dom de Deus. Graças a Deus por tudo que temos e somos, e pelo que podemos ou não fazer, e por onde estamos ou onde podemos ir, mesmo que tenhamos aproveitado alguma chance ou oportunidade, e termos, ainda, nos esforçado para tanto (seja o que for). Deus permitiu, Deus ajudou, Deus guiou, Deus abençoou, enfim: Deus. O ser humano tem pouco alcance sem Ele.

Se alguém pensa diferente, eu respeito. Mas com todo respeito, discordo. O ser humano é tudo e nada ao mesmo tempo. É tudo porque Deus o ama, e quer o melhor para ele. É nada porque basta um instante, e tudo muda, ou acaba. Essa dualidade faz do homem (e tudo o que ele tem, é e faz) um ser especial, por certo, mas frágil, e potencialmente sem valor algum. Ontem ele foi ou fez ou teve (alguma coisa), hoje ele é e faz e tem (com a graça de Deus) e o amanhã não existe (é uma incógnita). Homem que tem valor é aquele que reconhece sua dependência de Deus Pai, e a Ele se entrega; todos os outros são meros figurantes no “palco” da Existência. A humildade no coração do homem faz dele homem valoroso, virtuoso, vitorioso, que tem valor, incalculável. Perante o Senhor isso, e é o que realmente importa.

© Amor-Perfeito

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: