Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

1 Coríntios 1: 9.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor” – 1 Co. 1: 9.

Algumas palavras ou frases, de tanto que as repetimos, acabam se tornando meros jargões ou chavões, e perdem seus importantes significados. Exemplo disso é a tão repetida frase “Deus é fiel”. Muita gente repete essa sentença sem nem mesmo se dar conta do que realmente fala, isto é, da profundidade e da importância que se têm representadas pelas palavras proferidas. Não raras vezes vemos “Deus é fiel” estampada em camisetas ou em adesivos, estes últimos mais comumente vistos em automóveis.

Acontece que Deus é fiel mesmo, e isso sem sombra de dúvidas. O verso nos diz que fiel é Deus, e Sua fidelidade se faz presente em nossas vidas por intermédio de Cristo Jesus, Seu Filho querido e amado. E nos diz mais: nós fomos chamados (escolhidos, eleitos) a nos achegarmos a Ele. Importa-nos, pois, para tanto, termos comunhão com Jesus, isto é, participarmos de Sua obra neste Mundo tão complicado. Ou estarmos perto Dele, sempre. 

Comungar com ou em Jesus não é simplesmente o ato de ingerir uma hóstia, como fazem os católicos (sem crítica alguma, frise-se), ou repartir o pão, como fizeram e fazem os cristãos de todos os tempos, por piedade, necessidade ou costume. Não, é muito mais do que isso. Ter comunhão com Jesus é participar da realização e do desenvolvimento de Sua obra. É ter harmonia com o Mestre, e isso se vê na pessoa pelo seu modo de pensar, de agir, de sentir. É, pois, ter uma ligação estreita, uma identidade, não com uma igreja em particular, mas com o próprio Senhor Jesus Cristo. Com certeza, é compartilhar Jesus em tudo com todos, e ter o coração Nele alinhado.

Ter os olhos e o coração voltados para Jesus, porém, não é tarefa fácil, especialmente em um Mundo que jaz no maligno (1 João 5: 19), cuja “roda viva” por vezes nos envolve. Mas Jesus, em Sua oração intercessória (feita a todas as pessoas de todos os tempos), pediu a Deus que não nos tirasse do Mundo, mas nos livrasse do mal (João 17: 15). Essa é a fidelidade de Deus, que cuida de todos nós no Mundo, e nos livra do mal. E é Deus Pai quem decide o que é ou não é mal, em si, veja-se bem. Uma das provas máximas da fidelidade de Deus é Jesus conosco – Emanuel – confira em João 17: 24. E o Espírito Santo, que em nós faz morada – João 14: 23. Por isso tudo, e por muito mais, guardemos bem essas palavras: “Deus é fiel”. Essa bendita frase não é chavão, não é bordão, não é jargão, além de jamais poder ser por nós ouvida como algo comum, ordinário. Essa frase representa, na verdade, todo o poder, toda a graça e toda a glória de Deus Pai, e tudo isso direcionado a nós, que O amamos e, ao mesmo tempo, somos alvos de Seu amor (independentemente de nossas faltas e falhas, que Ele supre, justificando-nos). Por favor (suplico), creiam nisso: “Deus é fiel”. Mesmo!

© Amor-Perfeito

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: