Amor-Perfeito

"Eu me deito e durmo; acordo, porque o Senhor me sustenta" – Salmo 3: 5.

Eclesiastes 8: 11.

* 1mVersículo 1aVerdade *

“Visto que não se executa logo o juízo sobre a má obra, o coração dos filhos dos homens está inteiramente disposto à prática do mal” – Ec. 8: 11.

Por toda parte vemos injustiças. O intrincado e nefasto sistema deste Mundo é estabelecido justamente na injustiça. Não é a toa que a Bíblia Sagrada nos diz que o Mundo inteiro jaz no maligno (1 João 5: 19), e que basta a cada dia o seu mal (Mateus 6: 34). No mais das vezes assistimos o desenrolar de toda sorte de injustiças, sem que tenhamos ação alguma ao nosso alcance para mudar qualquer coisa que seja. Poucas são as ocasiões em que temos eventual margem de atuação, em relação a essas situações.

A pergunta no sentido do por que Deus permite tanta injustiça ecoa em nossas mentes, sem resposta. O Senhor Deus seria, pois, injusto, por permitir tanta injustiça? Por certo que a resposta é negativa. Deus nada tem a ver com isso. As injustiças todas partem dos corações de seres (nós) nascidos com a “bênção e a maldição” do livre arbítrio (nunca vêm de Deus). A aparente contradição logo atrás apontada serve apenas como frase de efeito, visto que a Deus aprouve nos dar o livre arbítrio, e este se revela ora em bênção ora e maldição, de acordo com nossos atos e condutas. Livre arbítrio é sinônimo de responsabilidade, porém, toda liberdade é relativa.

A medida do livre arbítrio é uma celeuma sem fim: ninguém pode precisar seu conteúdo tampouco dizer quais seriam os nossos limites nele. Entretanto, pode-se dizer sem erro que as injustiças são frutos do livre arbítrio. O Senhor, no entanto, fez a opção por ter para Si pessoas nessas condições, isto é, que devem escolher  entre o bem e o mal, de preferência o bem em detrimento do mal (claro). Tais escolhas são diárias, constantes, de maneira que sempre estamos diante da “bênção e da maldição”. E bem assim que temos o Pai para perdoar os nossos deslizes.

Mas, e as más obras, que fazem muito de nós optarmos pela prática do mal (por prevenção ou por retribuição, tanto fez tanto faz), visto que não se vê (por vezes) paga à alma má e ruim? Um conselho para cada situação: “por prevenção”, todos nós devemos observar e nos apegar às Palavras (advertência) de Jesus, e não deixar o amor de Deus esfriar em nós. “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de quase todos esfriará. Mas aquele que perseverar até o fim será salvo” (Mateus 24: 12 e 13). “Por retribuição”, insta dizer que “a ira do homem não opera a justiça de Deus” (Tiago 1: 20), frase autoexplicativa. Evitemos, pois, sermos como os “filhos dos homens” do verso, pelo contrário, sejamos filhos de Deus, idôneos, apegados sempre ao Seu amor, sem ira (Efésios 4: 26 =Não se ponha o sol – Jesus – sobre a vossa ira”), confiantes na Justa Justiça de Deus Pai. Confiantes Nele, na Sua Justiça, em todo o tempo!

© Amor-Perfeito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: